Reali continua líder, mas Michels cresce

Voltar

Data Publicação: 8/26/2012 12:29:00 PM

Raphael Rocha

O prefeito de Diadema, Mário Reali (PT), contina à frente na disputa eleitoral, de acordo com a segunda rodada de pesquisas realizada pelo Diário. O candidato à reeleição atingiu 42% de intenções de voto no levantamento estimulado (quando o eleitor é informado sobre os prefeituráveis). Candidato do PV, Lauro Michels cresceu e passou para 22,7%. Mesmo com esse cenário, o petista venceria no primeiro turno, pois angariou 58,5% da intenção de votos válidos.

Reali oscilou negativamente dentro da margem de erro de três pontos percentuais em comparação ao estudo divulgado pelo Diário em 22 de julho, quanto obteve 42,7%. Michels registrou acréscimo de 8,2 pontos, o maior crescimento entre os prefeituráveis. No mês passado, o verde conquistou 14,5% de citações.
 
Candidata do PSDB em Diadema, Maridite Cristóvão de Oliveira apresentou 4,5% de intenções de voto, mesma pontuação do levantamento de julho. Ivanci dos Santos (PSTU) atingiu 1,1% (antes arrebatou 2,3%), Buiú (PMN) chegou a 0,9% (1,5% em julho) e Vladão Trombini (PCB) apareceu com 0,6% (1,6% no mês passado). Brancos e nulo somam 12,6% e 15,6% não souberam respondem em quem votaria no dia 7 de outubro.
 
 
No levantamento espontâneo (quando o eleitor não tem acesso à cartela com nome dos candidatos), Reali lidera e registra crescimento, passando de 13,2% citações em julho para 27,4%. Michels quintuplicou o percentual nesse cenário, saltando de 2,9% de menções para 15%.
 
Antes líder de intenção de voto em todas as faixas etárias, Reali perdeu na disputa com Michels pelo sufrágio dos eleitores com mais de 60 anos: 31,7% para o petista, 35,8% para o verde. O vereador do PV é sobrinho-neto e homônimo do ex-prefeito Lauro Michels, que exerceu dois mandatos nas décadas de
1960 e 1970.
 
O atual chefe do Executivo teve melhor desempenho entre eleitores de 25 a 34 anos, com 47,2% de citações. O vereador do PV, por sua vez, ampliou eleitorado em todas faixas de idade, principalmente entre os jovens de 16 e 17 anos: saltou de 4,8% de intenções de voto para 33,3%.
 
REJEIÇÃO
Reali é o mais rejeitado entre os candidatos à Prefeitura, com 22,1% de menções. Buiú apareceu no segundo posto, com 13,4%, seguido por Maridite (7,8%), Vladão (6,6%), Michels (5,9%) e Ivanci (2,2%). No estudo, 17,9% disseram não rejeitar nenhum dos prefeituráveis, enquanto 8,1% afirmaram não gostar dos nomes colocados na corrida eleitoral diademense.
 
A pesquisa realizada pelo Diário no dia 23 ouviu 1.070 munícipes e está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob nº SP-00530/2012.
 
 
 
Aumenta rejeição ao governo petista
 
O índice de rejeição ao governo do prefeito de Diadema, Mário Reali (PT), cresceu em relação à primeira rodada da pesquisa realizada pelo Diário, em julho. No mês passado, 24,3% dos entrevistados desaprovaram o primeiro mandato do petista. Agora, 30,8% dos afirmaram não gostar da condução do PT à
rente da Prefeitura – 17,7% classificaram a gestão como péssima e 13,1% como ruim.
 
A maioria da população, porém, considerou regular os quatro anos de Reali no comando do Executivo. O levantamento feito pelo Diário mostrou que 36,9% dos entrevistados avaliam que o governo não foi bom nem ruim. O cenário semelhante ao estudo do mês passado, quando o percentual dessa faixa foi de 38,5%.
 
A aprovação à administração do PT teve leve queda, passando de 33,3% para 32,1%. Na pesquisa deste mês, 4,2% apontaram como ótima a gestão de Reali. Outros 27,9% disseram que o trabalho do prefeito é bom. Em julho, esses dados eram de 2,9% para ótimo e 30,4% para ruim.
 
 
Entre os que avaliaram como regular o governo petista, 14% responderam que a gestão é regular mais para boa, 9,4% nem para bom nem para ruim e 13,5% regular para ruim. Outros 0,2% dos entrevistados não souberam responder.
 
A taxa de rejeição aumentou justamente no mês em que os candidatos de oposição intensificaram campanhas nas ruas e no início do julgamento do Mensalão no STF (Supremo Tribunal Federal). Os oposicionistas, inclusive, tentaram atrelar a empreitada à reeleição de Reali ao maior escândalo do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – embora nenhum dos 37 réus tenha ligação direta com Diadema.
 
Em agosto, prefeituráveis que buscam desbancar a hegemonia petista no governo diademense também não pouparam críticas à gestão da Saúde, ao fim da integração gratuita do transporte público, à falência da ETCD (Empresa de Transporte Coletivo de Diadema), à parceria da Saned (Companhia de Saneamento de Diadema) com a Sabesp e à falta de vaga em creches municipais (a lista de espera é de 5.000 crianças).